domingo, 30 de junho de 2013

JÁ DISPONÍVEL O TRAILER OFICIAL DO LONGA "CASA DA MÃE JOANA 2", QUE ESTREARÁ NOS CINEMAS EM 06/09/2013

COM DISTRIBUIÇÃO DA IMAGEM FILMES, LONGA DIRIGIDO POR HUGO CARVANA 
CHEGA ÀS TELAS DIA 6 DE SETEMBRO

video

Casa da Mãe Joana 2, dirigido por Hugo Carvana, traz novamente às telas o divertido trio de amigos Montanha, Juca e PR – vividos por Antônio Pedro, José Wilker e Paulo Betti, respectivamente. A continuação do filme homônimo lançado por Carvana em 2008 mostra Montanha vivendo uma vida tranquila ao tornar-se um escritor de sucesso após o lançamento do livro “Casa da Mãe Joana”. 

Só que tudo muda quando ele reencontra seus amigos. Juntos se metem em uma série de confusões, desde fugir de duas irmãs (Leona Cavalli e Lucia Bronstein) que são capazes de tudo para receber a herança da mãe (Carmem Verônica), até se envolverem com um médium picareta (Anselmo Vasconcellos) e com o aparecimento de um fantasma francês (Caike Luna) que quer morar na mansão de Montanha.

O filme conta ainda com grandes nomes no elenco, entre eles Betty Faria (Araci), Xuxa Lopes (Quitéria), Fabiana Karla (Maria Antonieta) e Felipe Kannenberg (Tomas de Brusso).

O filme estreará dia 6 de setembro, em todo o país. “Casa da Mãe Joana 2” é distribuído pela Imagem Filmes, produzido pela Mac Comunicação e coproduzido pela Globo Filmes e Telecine. Foi realizado com recursos do FSA/ FINEP e do FAC da Prefeitura do Rio de Janeiro/Rio Filme e conta com patrocínio da Neoenergia e apoio da Tele Image, responsável pelos efeitos visuais.

Sinopse
Montanha (Antônio Pedro), Juca (José Wilker) e PR (Paulo Betti) são três grandes amigos que só se metem em confusões. Agora, o jornalista é um escritor bem-sucedido e tem muito a comemorar com o sucesso do seu livro “Casa da Mãe Joana”. Em contrapartida, seus dois amigos não mudam: Juca acaba preso por participar de uma maratona de cannabis, e PR usa, mais uma vez, seus encantos para tirar vantagem de uma viúva rica. Com a volta deles para a casa de Montanha, vai ser confusão na certa! O filme ainda conta com os atores Caíque Luna, Leona Cavalli, Juliana Paes, Betty Faria, Xuxa Lopes, Anselmo Vasconcellos, e grande elenco. 

Hugo Carvana
Ator, diretor, produtor e roteirista. O multifacetado Hugo Carvana dispensa apresentação. No teatro trabalhou em dezenas de peças tendo atuado no Teatro de Arena, a Companhia Burlesca de Milton Carneiro e Companhia de Teatro Aurimar Rocha para citar algumas. 

No cinema foram mais de 90 filmes como ator, 22 chanchadas e filmes com Glauber Rocha, Nelson Pereira dos Santos e Joaquim Pedro de Andrade. Na TV atua em novelas, séries e minisséries da Rede Globo desde 1966. Com seu jeito de fazer cinema - um mix de sonho, magia, humor e alegria – dirigiu entre 1973 e 2011 oito filmes, tendo feito participações especiais em alguns. Nos três últimos optou apenas pela direção. Em 1973, no auge da ditadura, atuou e dirigiu a primeira comédia, “Vai trabalhar vagabundo”.

“Se segura malandro”, em 1978, homenageia as pessoas simples do povo e o seu amado Rio de Janeiro. Em 1982 veio o “Bar Esperança”, dedicado aos amigos das mesas dos botequins, aos intelectuais da esquerda festiva. E em 1991, em “Vai trabalhar vagabundo II, a volta”, ressuscitou o personagem Secundino Meireles que se levanta do caixão em busca de um antigo amor. Em 1996 dirigiu “O homem nu”. 

Em 2003 realizou “Apolônio Brasil”, o campeão da alegria, lembrando os grandes artistas da noite e as canções românticas que se incorporaram à alma brasileira. Em 2008, a marca do bon-vivant carioca voltou em “Casa da mãe Joana”, uma história dionísica e recheada de humor e alegria. Seu último filme foi “Não se preocupe, nada vai dar certo”, de 2011, em que pai e filho (Tarcísio Meira e Gregório Duvivier) viajam pelo interior do Brasil se apresentando com um show de piadas.

MAC Produções
A história da Mac Comunicação se funde com a do cinema nacional nas últimas quatro décadas. Fundada por Hugo Carvana e Martha Alencar, mantém uma estrutura enxuta, porém coesa. Produziu e coproduziu nove longas-metragens: “Casa da Mãe Joana 2” (2013), “Não se preocupe, nada vai dar certo”(2011), “Casa da Mãe Joana” (2008), “Apolônio Brasil, campeão da alegria” (2003), “Homem Nu”(1997), “Vai trabalhar Vagabundo II, a volta” (1991), “Bar Esperança” (1982), “Se segura Malandro” (1978) e “Vai trabalhar Vagabundo” (1973). 

Um filme bem sucedido é um projeto de longo prazo com capacidade de gerar sub-produtos, royalties e franquias. Os filmes da Mac tem esse perfil, pois, viraram CDs, geraram franquias (“Vai trabalhar Vagabundo” e “Casa da Mãe Joana”), mobilizaram grandes atores e profissionais premiados, e chegaram a inspirar canções de Chico Buarque, João Bosco, Edu Lobo, Paulo César Pinheiro, Roberto Menescau, Mario Lago e Aldir Blanc. Os dois últimos filmes, “Casa da Mãe Joana” (3a maior abertura 2008) e “Não se preocupe, nada vai dar certo”, juntos, tiveram rendas acima da média e seguem a tradição de continuidade de uma carreira comercial de longo prazo, assim como os demais filmes da Mac. 

Imagem Filmes
A Imagem Filmes é uma distribuidora nacional de filmes independentes comprometida, acima de tudo, com a qualidade e variedade de produções. Atuando nos segmentos de cinema, vídeo e televisão a Imagem Filmes irá distribuir em 2013 grandes produções nacionais, dentre elas: “Vai Que Dá Certo”, “Somos Tão Jovens”, “Flores Raras”, “Mato Sem Cachorro”, “Casa da Mãe Joana 2”, “O Vendedor de Passados” e "Julio Sumiu" além das produções internacionais “A Hospedeira” (The Host), “Diana”, “Sin City 2”, “Blue Jasmine”, “Riddick” e “Tarzan 3D”.
 
Globo Filmes
Desde 1998, a Globo Filmes já participou de mais de 125 filmes, levando ao público o que há de melhor no cinema brasileiro. Com a missão de contribuir para o fortalecimento da indústria audiovisual nacional, a filmografia contempla vários gêneros, como comédias, infantis, romances, dramas e aventuras, apostando em obras que valorizam a cultura brasileira. A Globo Filmes participou de alguns dos maiores sucessos de público e de crítica como 'Tropa de Elite 2', 'Se Eu Fosse Você 2', '2 Filhos de Francisco', ‘O Palhaço’, ‘Xingu’, 'Carandiru', 'Nosso Lar' e 'Cidade de Deus' – com quatro indicações ao Oscar. Suas atividades se baseiam em uma associação de excelência com produtores independentes e distribuidores nacionais e internacionais.

Telecine
Há 22 anos, a Rede Telecine estreia na TV brasileira o melhor do cinema mundial, cada vez mais rápido. Joint-venture entre a Globosat e os quatro maiores estúdios de Hollywood – Paramount, MGM, Universal e Fox –, também exibe com exclusividade as produções da Disney, além de sucessos do mercado independente. Visando investir cada vez mais na produção cinematográfica nacional, a Rede Telecine lançou em 2008 o Telecine Productions, selo de coprodução de títulos em parceria com grandes produtoras brasileiras. Além de estimular a criação de novos filmes e garantir sua exibição com exclusividade nos canais da Rede, em algumas produções o Telecine exibe versões exclusivas. 

A Rede Telecine é líder absoluta entre os canais de filmes da TV por assinatura. Em 2013, pelo oitavo ano consecutivo, exibiu o filme mais assistido na TV paga brasileira. Com o menor índice de repetição e os maiores e mais recentes longas do mercado brasileiro, o Telecine reúne 7 das 10 maiores bilheterias do cinema em 2012. Nos últimos 20 anos, estreou com exclusividade 13 vencedores do Oscar de Melhor Filme.

Ficha Técnica
Distribuição: Imagem Filmes
Produção: MAC Comunicação
Coprodução: Globo Filmes e Telecine
Direção: Hugo Carvana
Roteiro: Paulo Halm

Elenco
Antônio Pedro - Montanha
José Wilker - Juca
Paulo Betti - PR
Betty Faria - Dona Aracy
Leona Cavalli - Laurinha
Caike Luna - Zazzie
Lucia Bronstein - Tereza
Felipe Kannenberg - Tomas deBrusso
Xuxa Lopes – Quitéria, assessora de Montanha
Anselmo Vasconcellos - Alcebíades
Fabiana Karla - Maria Antonieta
Carmem Verônica - Madame Pedregal
Juliana Paes – Dolores Sol (Monalisa)

fonte: assessoria de imprensa

TEATRO SESC GINÁSTICO RECEBERÁ A CANTORA ELIANA PRINTES, NO PROJETO "MÚSICA, MEIO-DIA E MEIA", DIA 03/07/2013 (QUARTA)

ELIANA PRINTES  
NO MÚSICA, MEIO-DIA E MEIA 
 TEATRO SESC GINÁSTICO

SHOW INTIMISTA E HITS RADIOFÔNICOS

 
foto: divulgação
      
Eliana Printes  será a segunda atração do projeto Meio-Dia e Meia, dia 03 de julho, no Teatro Sesc Ginástico. No espetáculo, acústico, com arranjos que priorizam o conteúdo harmônico-contemporâneo, na busca de timbres bem diferentes dos trabalhos anteriores, a cantora e compositora será acompanhada por Adonay Pereira, no violão, e Francisco Falcon, no contrabaixo acústico e violoncelo. A duração do show é de aproximadamente 60 minutos e o ambiente intimista propiciará um realce da bela voz da intérprete amazonense.


No roteiro

Canções que se destacaram nas rádios brasileiras, como: "Os presentes"  (Kleber Albuquerque), "Só vou gostar de quem gosta de mim"  (Rossini Pinto), "Quase não dá para ser feliz" (Dalto) , "Da laia do Lama" (Antonio Villeroy), "Por onde?" (Kleber Albuquerque), "Andando em Silêncio" (Adonay Pereira e Eliana Printes), "Coração Sonhador" (Nilson Chaves), "Crepúsculo de uma Deusa" (Mona Gadelha),."Quando você passa por mim", "No ouvido", "Perdi a conta" (Adonay Pereira e Eliana Printes), e  "Morda minha Lingua"  (Peri); "O trem da Juventude" (Herbert Viana), Pais e filhos (Renato Russo Marcelo Bonfá, Dado Villa Lobos) e "Se chovesse você" (Eliana Printes, Adonay Pereira e Eliakin Rufino) que ficou, durante um bom tempo, entre as dez mais tocadas da rádio MPB FM. "Firmamento" sucesso da banda Cidade Negra, ganhou uma versão com voz e violão, e algumas outras surpresas foram preparadas especialmente para essa apresentação no projeto Meio-Dia e Meia.



S E R V I Ç O
ELIANA PRINTES  
projeto  MÚSICA, MEIO - DIA E MEIA

DIA 03 DE JULHO, QUARTA-FEIRA - 12h30m
TEATRO SESC GINÁSTICO

 Av. Graça Aranha, 187 - Centro - RJ - (21)2279-4027

Classificação - Livre
Duração -  60 minutos, aproximadamente www.sescrio.org.br


Ingressos 
R$12,00 (inteira), 
R$6,00 (meia-entrada) 
R$3,00 (comerciários)

O Sesc Ginástico aceita apenas dinheiro. Não tem  manobristas e nem estacionamento particular.
REALIZAÇÃO: SESC RIO// PRODUÇÃO : VERASTAR Criações Artísticas e Culturais


A BILHETERIA, NOS DIAS DO PROJETO, 
ABRIRÁ ÀS 11:30h 
 NOS OUTROS DIAS, DAS 13h ÀS 19h 
exceto segunda-feira, quando a bilheteria não abre!

Conheça o site da artista Eliana Printes
que está também no MySpace

fonte: assessoria de imprensa

sábado, 29 de junho de 2013

TEATRO DAS ARTES, NO SHOPPING DA GÁVEA, RECEBERÁ O ESPETÁCULO "CAIXA DE PHOSPHORUS", EM TEMPORADA DE JULHO A AGOSTO 2013

Caixa de Phosphorus

de Renata Mizrahi
direção de Susanna Kruger

com Daniela Carvalho e Ivan Mendes
 

foto: Sasha de Nigres

A partir do dia 06 de Julho o Teatro das Artes recebe o espetáculo “Caixa de Phosphorus”, de Renata Mizrahi (“Sarau das Putas” e “Os Sapos”, e duas vezes vencedora do Prêmio Zilka Sallaberry) e direção de Susanna Kruger. Na peça, Daniela Carvalho e Ivan Mendes interpretam Cris e Pedro, que juntos ou separados não conseguem se esquecer. Inventam maneiras de se (des)encontrar, vivem várias histórias e situações inusitadas, para enfim descobrirem que, apesar de tudo, nasceram um para o outro.

Sob a ótica do mundo contemporâneo e como seus novos comportamentos influenciam diretamente nos relacionamentos, retrata a paranoia do dia-a-dia que invade a vida dos casais que se sentem perdidos no meio de tanta informação. Recheado de humor e romance, Caixa de Phosphorus não é apenas mais um texto de casal, é uma peça encantadora que vai fazer a plateia refletir e se divertir.

A montagem estreou em 2011 no FITA (Festival Internacional de Teatro de Angra), sendo o primeiro espetáculo a ter os ingressos esgotados naquele ano. Em janeiro de 2012 fez uma temporada de grande sucesso no Espaço SESC. Em seguida saiu em turnê nacional, passando por Curitiba, Natal, Campina Grande, Mossoró, Petrópolis, Petrolina, Lages e várias outras cidades. Ainda em 2012 ganhou o "Circuito Estadual das Artes", da Secretaria de Estado de Cultura do Rio de Janeiro, que levou o espetáculo a preços populares, com a presença de intérpretes de Libras, para Duque de Caxias, Macaé e Saquarema.

foto: Sasha de Nigres


SERVIÇO

Local: Teatro das Artes
Endereço: Rua Marquês de São Vicente, 52/2º piso – Shopping da Gávea
Telefone: (21) 3874-3957
Horário: Sábado, às 19h, e domingo, às 18h30
Ingresso: RS60,00
Bilheteria: de terça a domingo, a partir das 15h
Duração: 60 minutos
Gênero: comédia romântica
Classificação: 12 anos
Capacidade: 457 lugares
Temporada: 06 de Julho a 25 de agosto


FICHA TÉCNICA

Texto: Renata Mizrahi
Direção: Susanna Kruger
Elenco: Ivan Mendes e Daniela Carvalho
Iluminação: Aurélio de Simoni
Cenografia: Lia Farah e Rodrigo Noroes
Figurinos: Arlete Rua e Thais Boulanger
Trilha Sonora: Susanna Kruger
Arte Gráfica: Roberta Freitas
Fotografia: Alle Vidal
Assessoria de Imprensa: Daniella Cavalcanti
Produção Executiva: Neila de Lucena e Leandro Carvalho
Direção de Produção: Sandro Rabello
Realização: DIGA SIM! PRODUÇÕES

fonte: assessoria de imprensa

MARIANA BALTAR LANÇA CD "TRESVARIOS", EM ÚNICA APRESENTAÇÃO, NO TEATRO IPANEMA, NA TERÇA (02/07/2013)

Mariana Baltar, Luiz Flávio Alcofra 
e Mauro Aguiar

lançam o CD Tresvarios
   
Dia 02 de julho, terça-feira, no Teatro Ipanema

 

foto: divulgação

Mariana Baltar canta temas da nova dupla de compositores, passeando por sambas (enredo, sincopados, canção), choro, valsas, marcha-rancho, fox, e canções), alguns deles abrangendo os universos musicais de ícones como Lupicínio Rodrigues (“Curto Circuito”) e Aldir Blanc (“Sem Pai nem Mãe”). Estão também no repertório dos shows músicas de Chico Buarque, João Bosco e Cartola.
           
A direção musical, o violão e a guitarra de Alcofra, o contrabaixo acústico de Pedro Aune, e a bateria de André Boxexa dão o tom para as participações de Cristóvão Bastos, Carlos Fuchs, Marcelo Bernardes, Rui Alvim, Kiko Horta, Jayme Vignoli, Netinho Albuquerque, Marcílio Lopes, Josimar Carneiro, Valéria Lobão e Marcos Sacramento.

           
SOBRE MARIANA BALTAR

Desde 2010, Mariana Baltar participa de projetos envolvendo jovens compositores da MPB. Em 2012, cantou parte desse repertório no show Música Exploratória Brasileira, no Le Poison Rouge, em Nova Iorque e, em seguida, mergulhou nesse projeto especial de sua carreira: a gravação do CD Tresvarios, com músicas inéditas da dupla Luiz Flávio Alcofra e Mauro Aguiar. A cantora e bailarina carioca pesquisa há tempos o nosso cancioneiro e seu segundo trabalho, lançado pela Biscoito Fino, Mariana Baltar, de 2010, é reflexo da mistura entre o novo e as preciosidades da MPB, com músicas inéditas de Thiago Amud, Edu Kneip, Zé Paulo Becker, além de regravações de Assis Valente e Wilson Moreira.

Sua estreia fonográfica foi em 2006 e o primeiro CD, “Uma dama também quer se divertir”, teve o reconhecimento do público, da imprensa e a cantora foi indicada ao Prêmio TIM 2007, na categoria Revelação.   Durante cinco anos, esteve no circuito da Lapa e adjacências, no Rio, animando os sábados do Centro Cultural Carioca, do qual foi uma das sócio-fundadoras. No teatro, atuou como atriz e cantora nos musicais  “Ary Barroso - do Princípio ao Fim”, “Império” e “Geraldo Pereira, um escurinho brasileiro”.


SOBRE LUIZ FLÁVIO ALCOFRA
           
Violonista, compositor e arranjador, estreou em 2003 com o CD em homenagem a Ernesto Nazareth. Tem acompanhado nomes representativos do samba e do choro como Joel Nascimento, Wilson Moreira, D. Ivone Lara e participou de várias montagens musicais. É professor da Escola Portátil de Música do Rio de Janeiro e, junto com o cantor Marcos Sacramento e o grupo Terno Carioca vem realizando turnês pela Europa e pelo Brasil. Integra o grupo Água de Moringa.


SOBRE MAURO AGUIAR

Cantor e compositor, já teve suas canções gravadas por nomes como Ivan Lins, Zeca Pagodinho, Zélia Duncan e Ney Matogrosso que incluiu em seu show “Beijo Bandido” a salsa “Incinero”, parceria de Mauro com Zé Paulo Becker. É parceiro de Guinga na faixa título do CD “Casa de Villa”, indicado ao Grammy Latino. Também com o violonista, participou do CD “Timeless” de Sérgio Mendes, com a faixa “Fo-hop”, contemplado com o  Grammy.

 foto: divulgação


SERVIÇO

Data: 02 de julho, terça-feira, às 20h
Local: TEATRO IPANEMA 
(Rua Prudente de Morais, 824 – Ipanema)
Telefone: (21)2267-3750
Classificação etária: livre
Ingressos: R$ 40,00 (inteira) e R$ 20,00 (meia)
Capacidade: 222 lugares
Duração: 80 minutos 

fonte: assessoria de imprensa

sexta-feira, 28 de junho de 2013

ESPETÁCULO "PHILODENDRUS" REEDITA, NO PALCO, A PARCERIA DOS ATORES FABRÍCIO BOLIVEIRA E FELIPE, DE "FAROESTE CABOCLO"

Coletivo Planta

em

Philodendrus

De 05 de Julho a 18 de Agosto no Teatro do Jockey

Fabrício Boliveira e Felipe Abib repetem a parceria do cinema nos palcos

foto: Renato Mangolin

A partir do dia 05 de Julho o Teatro Municipal do Jockey - Centro de Referência do Teatro Infantil apresenta, sob direção de Cristina Moura, o espetáculo Philodendrus. A proposta é a criação de um ambiente cênico que, por si só, é capaz de transportar o espectador como parte do experimento. Entre o natural e o laboratório, o clima criado é de um futuro antigo. Uma reflexão fora do tempo que rompe com o espaço bidimensional e amplia as variáveis cognitivas do público.

O espetáculo se passa numa conferência fictícia onde os interpretes, por vezes jardineiros (botânicos), neurocientistas ou atores falam sobre suas vivências e discutem e experimentam as possibilidades vigentes: penetrar na sabedoria coletiva das plantas, vivenciando sua lógica natural; voltar ao estágio de consciência dos animais, vivenciando o instinto; ou aventurar-se sobre o desconhecido que é ser humano. Ou até mesmo uma combinação de todas elas.

Sob uma lógica de pesquisa corporal clara e intensa, a peça foi criada colaborativamente a partir do choque das lógicas propostas. Com intensa fisicalidade, Philodendrus conta várias histórias e passeia por situações diversas criando uma dramaturgia que combina surpreendentes elementos cênicos.  Inspirados pela história real de Jill Taylor, pelo livro "A Vida Secreta das plantas" e outros escritos, os intérpretes e criadores investigaram espaços fronteiriços entre corpo e palavra, espaço cotidiano e extracotidiano, e síntese da informação através da modalidade visual.

Philodendrus tem como objetivo geral produzir um espetá­culo de teatro-dança que traça o paralelo entre as atividades cerebrais do ser humano com manifestações sutis de inteligência das plantas. O propósito dessa pesquisa cênica é dar foco sobre a percepção sen­sorial nas atividades humanas e as implicações que isso pode exercer no nosso cotidiano.

O elenco, que conta com a própria diretora e ainda Felipe Abib, Fabricio Boliveira, Goos Meeuwsen, Helena Bittencourt e Thiare Maia, aposta na dramaturgia colaborativa para construção de um trabalho que visa investigar espaços fronteiri­ços entre corpo e palavra, experiências pessoais e ficcionais.

foto: Renato Mangolin


SERVIÇO

Temporada: de 05 de julho a 18 de agosto

Local: Teatro Municipal do Jockey – Centro de Referencia do Teatro Infantil
Endereço: Av. Bartolomeu Mitre, 1.110 – Gávea. Rio de Janeiro – RJ
(Entrada de veículos pela Rua Mário Ribeiro, 410)

Telefone: (21) 3114-1286
Bilheteria: de quinta a domingo das 15h às 21h
Ingresso: R$ 20,00 (inteira)/ R$ 10,00 (meia)
Horário: sexta a domingo, às 21h
Classificação: 12 anos
Duração: 70 minutos
Capacidade: 87 lugares


FICHA TÉCNICA

Idealização: Coletivo Planta
Direção: Cristina Moura
Criação: Cristina Moura, Fabricio Boliveira, Felipe Abib, Luciana Paes, Goos Meeuwsen, Helena Bittencourt e Thiare Maia
Interpretação: Cristina Moura, Felipe Abib, Fabricio Boliveira, Goos Meeuwsen, Helena Bittencourt e Thiare Maia
Assistente de Direção: Thiare Maia
Iluminação: Francisco Rocha
Cenário: Estúdio Radiográfico
Figurino: Antonio Guedes
Música original: Rabotnik
Videos: Paola Barreto
Direção de produção: Carla Mullulo
Produção Executiva: Lia Sarno
Administração: Carla Mullulo

fonte: assessoria de imprensa

quinta-feira, 27 de junho de 2013

"GONZAGÃO - A LENDA" CHEGARÁ AO THEATRO NET RIO, PARA TEMPORADA DE JULHO A SETEMBRO 2013


Musical Gonzagão - A Lenda
agora na Zona Sul

Espetáculo visto por mais de 35 mil pessoas
fará sua terceira temporada no Rio

De 4 de julho a 1º. de setembro – Theatro NET Rio
 
foto: Silvana Marques

... O resultado é um espetáculo que a cada episódio da vida, seja ele fato ou ficção, evoca a música que se segue, em um conjunto alegre, que faz o público sentir a força da obra desse compositor/canto/sanfoneiro... ’Gonzagão – A Lenda’ é uma agradável e merecida homenagem e evocação de uma figura marcante, cujo sucesso marcou época. As melodias e ritmos do ‘rei do Baião’ que a compõem mostram bem o quão variadas são as formas da imensa riqueza da música popular brasileira. (Barbara Heliodora – O Globo)

...Comovente e ao mesmo tempo divertido, o musical ‘Gonzagão – A Lenda’ é um dos mais acertados tributos prestados ao cantor, compositor e sanfoneiro. No maior trunfo do espetáculo, dirigido pelo também pernambucano João Falcão, pequenas subversões evitam o caminho fácil da biografia linear... Com carisma contagiante e boa performance vocal, apresentam mais de 40 canções, escoltados por quatro afiados instrumentistas... (Rafael Teixeira – Veja Rio)

Vencedor do Prêmio Shell 2012 de Melhor Música e de Melhor Produção no 7º Prêmio APTR, o espetáculo “Gonzagão – A Lenda”, de João Falcão, faz nova temporada no Rio de Janeiro, agora na Zona Sul, no Theatro NET Rio, em Copacabana.

Oito atores e uma atriz se revezam no palco em uma viagem musical pela trajetória do Rei do Baião. Como em qualquer história de homem que vira mito, a vida de Luiz Gonzaga tem passagens em que as versões de seus biógrafos não convergem, em que realidade e fantasia se confundem, e o autor e diretor João Falcão se sentiu livre para tratar mais do mito do que do homem.


“É a história de Luiz Gonzaga, mas não é Wikipédia”, diz Falcão, que evitou qualquer didatismo na construção do texto, embora tenha lido vários livros sobre um dos artistas mais importantes da música brasileira, morto em 2 de agosto de 1989, cujo centenário de nascimento foi comemorado em dezembro de 2012.

A opção por uma abordagem teatral, não enciclopédica, fica explícita logo no início da peça, quando uma trupe se apresenta para contar a “lenda do Rei Luiz”. Os atores desta trupe anunciam que encenarão uma história iniciada “no sertão do Araripe lá pelos idos do século XX”.

As referências são maciçamente nordestinas, sobretudo pernambucanas. Luiz Gonzaga nasceu no município de Exu, de onde saiu aos 17 anos para ganhar o mundo. João Falcão também é de Pernambuco, da cidade de São Lourenço da Mata. “A festa mais importante da minha casa era a de São João, e São João era Luiz Gonzaga. Ele era patrimônio do povo, mais do que qualquer outro artista. Poucas músicas que estou usando no espetáculo descobri agora. A maioria eu sabia de cor, já sabia tocar”, conta ele, que também é compositor.

Na história do rei do baião, João Falcão se permitiu rebatizar duas mulheres importantes da vida do músico, Nazarena (o primeiro grande amor) e Odaléa (a mãe de Gonzaguinha) como Rosinha e Morena, respectivamente, nomes que aparecem em músicas do compositor. E ainda se permitiu criar um encontro que nunca aconteceu: Luiz Gonzaga e Lampião, dois mitos nordestinos. Também há espaço para se falar da originalidade de Gonzaga, um artista que, a partir dos ensinamentos de seu pai, Januário, criou em sua sanfona um gênero, o baião, e o transformou em sucesso e patrimônio nacionais.

Dentre as mais de 50 canções que estão no espetáculo há sucessos como “Cintura fina”, “O xote das meninas”, “Qui nem jiló”, “Baião”, “Pau-de-arara” e sua mais célebre criação, “Asa branca”. De acordo com a linha não dogmática de todo o espetáculo, o premiado diretor musical Alexandre Elias não ficou preso à estrutura básica do forró, que é sanfona-triângulo-zabumba. No conjunto de quatro instrumentistas que atua no palco, há, além do sanfoneiro (Rafael Meninão) e do percussionista (Rick De La Torre), um violoncelista (Daniel Silva) e um rabequeiro e violeiro (Beto Lemos).

“É o que estamos chamando de baião tarja preta, porque é meio rock em um ou outro momento”, diz Elias, um dos responsáveis por sucessos como “Tim Maia – Vale tudo, o musical”.

Curiosamente, Marcelo Mimoso, que narra boa parte da história de Gonzaga no palco e canta a maioria das músicas, nunca tinha assistido a uma peça antes. Filho de sanfoneiro, Marcelo é taxista e também cantor de forró. Foi descoberto pelo diretor João Falcão numa noite em que se apresentava em um bar da Lapa.


FICHA TÉCNICA

Texto e direção: João Falcão
 
Elenco:
Apresentando – Marcelo Mimoso
Atriz Convidada – Laila Garin
Adrén Alves, Alfredo Del Penho, Eduardo Rios, Fabio Enriquez, Paulo de Melo, Renato Luciano e Ricca Barros

Músicos:
Beto Lemos – Viola, Rabeca e Pandeiro
Daniel Silva – Cello

Rick De La Torre – Bateria e Percussão
Rafael Meninão – Acordeon

Direção musical: Alexandre Elias
Arranjos: Alexandre Elias e músicos
Direção de movimento: Duda Maia
Direção de produção e Idealização: Andréa Alves
Cenografia e Adereços: Sergio Marimba
Figurinos: Kika Lopes
Assessoria de Imprensa: Daniella Cavalcanti
Assistente de Assessoria de Imprensa: Fernanda Miranda
Produção e Realização: Sarau Agência de Cultura Brasileira

foto: Silvana Marques

SERVIÇO

GONZAGÃO – A LENDA

Local: Theatro NET Rio – Sala Tereza Rachel (Rua Siqueira Campos, 143 – Sobreloja – Copacabana – Shopping Cidade Copacabana)

Temporada: 4 de julho a 1 de setembro.
Não haverá apresentações nos dias 25, 26, 27 e 28 de julho

Horário: Quinta, sexta e sábado às 21h. / Domingo às 20h
Ingresso: R$120,00 (plateia) R$ 90,00 (balcão)

Direito à meia entrada: menor ou igual a 21 anos; idosos com 60 anos ou mais; aposentados; professor da rede pública municipal; estudantes; cliente NET (até 4 ingressos por sessão); cliente O Globo (até 2 ingressos por sessão); portador de necessidades especiais; classe artística com DRT (até 1 ingresso por sessão).
Clientes Pão de Açúcar têm 30% de desconto em até 2 ingressos por sessão.

Classificação: 12 anos
Duração: 80 minutos
Capacidade do Teatro: 678 lugares
Telefone do teatro: (21)2147-8060 / 2148-8060
Vendas: Ingresso Rápido / consultem os pontos de vendas no site
Horário de funcionamento da bilheteria: 10h às 22h
Formas de pagamento: Todos CC / CB
Acessibilidade
Estacionamento no Shopping, entrada pela rua Figueiredo Magalhães, 598.
fonte: assessoria de imprensa

"SPA - UMA COMÉDIA DE PESO" ENCERRA TEMPORADA COM DUAS APRESENTAÇÕES GRATUITAS, NO TEATRO VANNUCCI

SPA – UMA COMÉDIA DE PESO”, de Vitor Hugo Marques, encerra  temporada no Teatro Vannucci com sessões grátis, em apoio ao Passe Livre no Teatro
nos dias 1º e 8 de julho

 Montagem dirigida por João Batista Leite discute a ditadura do corpo sarado e apresenta elenco de atrizes comediantes

 
foto: Thiago Ristow

A ditadura do belo, do jovem, do corpo magro e esbelto, questionada pela comédia “Spa – uma comédia de peso”, de Vitor Hugo Marques que está em cartaz às 21h, no Teatro Vannucci, no Shopping da Gávea, encerra temporada com  sessões extras gratuitas dias 1º  e  8 de julho. A iniciativa da produção é incentivar a formação de público  e apoiar o Passe Livre no Teatro.

Dirigida por João Batista Leite, a peça conta de forma bem humorada a história de quatro mulheres presas num SPA de comida orgânica, em meio a uma tempestade, no alto da serra. Incomunicáveis e impossibilitadas de sair, as diferenças pessoais e de expectativas de vida se acirram entre elas gerando conflitos que marcarão suas vidas. No elenco estão as atrizes integrantes do humorístico da TV Globo Zorra Total, Carol Loback, Dig Dutra e Helga Nemeczyk, além da atriz Pia Manfroni.

- Todo o emaranhado de emoções que levam homens e mulheres a um SPA transforma-se numa inesgotável fonte de casos com dimensão humana, muitas vezes dramáticas, mas com saborosas histórias recheados de humor – conta o diretor Vitor Hugo Marques.
 
O texto aborda o que há de mais mesquinho e glorioso na convivência de quatro mulheres que o acaso reuniu no mesmo ambiente. Retrata o que é universal e particular em cada uma delas para que o público possa de uma forma ou de outra se identificar ou negar emocionalmente ao que assiste. Enfatiza que o drama e a comédia humana estão separados por um fio muito frágil e curto e que não bastam termos projetos em comum para que as realizações pessoais se concretizem apenas por isso. As decisões das pessoas para os seus problemas e conflitos são resultado de suas histórias, medos e anseios e que não podemos impor nenhum controle.
SPA trata, na sua essência, como as mulheres buscam, mais do que a questão do peso, encontrar equilíbrio emocional nas suas vidas. 
Obesidade atinge 50% da população
A obesidade representa um grave problema de saúde que atinge homens, mulheres e crianças indiscriminadamente. Pesquisas recentes apontam que quase 50% da população brasileira estão na faixa da obesidade. E a paranoia com o corpo atinge decisivamente as mulheres. As clínicas de emagrecimento e SPAs estão repletas delas em busca da tal felicidade propagandeada por modelos esquálidas, completamente fora dos padrões normais. É neste espaço que a peça vai entrar e discutir com humor uma realidade que infelicita milhares de pessoas, na sua maioria esmagadora composta de mulheres.

SERVIÇO

Datas: 1º e 8 de Julho de 2013 – Segunda – feira
Horário: 21h
Local: Teatro Vannucci
Rua Marquês de São Vicente – 52 – Shopping da Gávea
Tel: (21)2274–7246
GRATUITO
Duração: 80 min
Classificação: 14 anos.
Gênero: Comédia 
 
FICHA TÉCNICA

Texto: Vítor Hugo Marques
Supervisão Artística: Luiz Fernando Lobo
Direção: João Batista
Elenco: Carol Loback, Dig Dutra, Helga Nemeczyk e Pia Manfroni.
Trilha Sonora: Pedro Lobo
Cenografia: Anderson Dias
Figurino: Mauro Leite
Iluminação: Cesar de Ramires
Programação Visual: Thiago Ristow
Caracterização: Rosa Bandeira
Cabelos: Sandro Valerio
Assessoria de Imprensa: Minas de Ideias
Consultoria de Produção: Tuca Moraes
Produtor: Lucas Mansor
 
fonte: assessoria de imprensa