quarta-feira, 26 de outubro de 2011

TRIBUNAL ELEITORAL DO RIO DE JANEIRO REGULAMENTA ATENDIMENTO DA OUVIDORIA

O Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro disponibilizou, a partir da quinta-feira, dia 20/10/2011, as formas de contato com a Ouvidoria do órgão, para reclamações, elogios e sugestões. O contato pode ser feito pelo telefone (21)2262-7757, pelo e-mail <ouvidoria@tre-rj.gov.br> ou pelo formulário eletrônico disponibilizado no site do Tribunal, no link Ouvidoria.

terça-feira, 18 de outubro de 2011

SÃO PAULO RECEBERÁ A BRASIL GAME SHOW 2012

Com público recorde de 61.921 visitantes, a quarta edição do Brasil Game Show, maior evento de games da América Latina, levou ao Centro de Convenções Sul América, no Rio de Janeiro, um ciclo de palestras e um festival de jogos para a alegria dos aficionados.

Entre os dias 05 e 09 de outubro, o BGS apresentou os principais lançamentos para o console Playstation 3, da SONY, e também para o XBox360, da Microsoft, que contou com um estande exclusivo, onde o sensor de movimentos Kinect e jogos como Forza Motorsport 4 foram os destaques. Os sensores de movimento, a propósito, fizeram muitos jogadores “balançarem o esqueleto” para dar vida às personagens de seus jogos favoritos. Foram espalhados vários aparelhos de TV em Full HD no espaço da feira, para um maior realismo dos jogos e melhor conforto para os entusiastas.

Outra grande novidade da BGS 2011 foi o lançamento do jogo Stock Car, exclusivo para computadores e totalmente produzido no país, pela Reiza Studios, com apoio das equipes e dos pilotos. Réplicas em tamanho natural dos carros dos pilotos Nonô Corrêa e Duda Pamplona foram introduzidas no evento.

Outro brinquedinho bacana apresentado na feira foi o AR Drone, um quadricóptero que percorreu uma área delimitada da BGS (cerca de 30m², próximo ao estande da GoHobby), e que atraiu olhares curiosos dos passantes. O AR Drone pode ser controlado tanto por um celular ou tablet, acessado pelo Android, Symbian, iPod touch, IPhone ou iPad, com aplicativos gratuitos. Confeccionado em fibra de carbono e pesando cerca de 420 gramas o brinquedo possui duas câmeras, nas partes frontal e inferior, bateria de polímero de lítio recarregável, sistema antivibração e linux integrado, além de outras especificações técnicas. Já vendeu cerca de 300 mil unidades em todo o mundo e foi vendido na BGS por cerca de 2 mil reais. Para saber um pouco mais sobre esse aeromodelo, acesse www.ardrone.com e assista aos vídeos no YouTube. Maneiríssimo!

Dentre os jogos à disposição dos visitantes da BGS 2011, citamos o aguardado Batman Arkham City (continuação do bem sucedido Batman Arkham Asylum), Fifa 2012 (EA Sports) e seu concorrente PES 2012 (Konami), Battlefield 3 (Dice/Electronic Arts), Uncharted 3 (Naughty Dog), L.A. Noire (Rockstar Games - com impressionante reprodução das expressões faciais humanas, num jogo ambientado nos anos 40) e F1 2011 (da Codemasters, especializada em jogos de corrida).

Para a garotada miúda, as novidades que mais despertaram a atenção foram os jogos “Happy Feet 2 – o videogame” (KMM Games) e a expansão bichos de estimação para o “The Sims 3 (Electronic Arts) .

A maior novidade, porém, é que a partir de 2012 o evento marcará presença também em São Paulo, iniciando a sua periodicidade bienal. A capital paulista receberá o evento entre os dias 11 e 14 de outubro do próximo ano. É anotar na agenda para conferir as novidades!

Francisco Filardi

sábado, 15 de outubro de 2011

THE FEVERS EM CANELA/RS EM OUTUBRO

Homenageada em 2010, no evento musical mais importante do País, a banda The Fevers foi convidada para participar da Festa Nacional da Música, de 17 a 20 de outubro, em Canela, no RS.

O encontro, reunindo artistas, produtores, empresários, profissionais da indústria fonográfica, a mídia especializada e instituições representativas da área musical, além dos shows e apresentações, também promoverá debates, workshops e seminários que discutirão os novos rumos do mercado musical. E temas atuais como a "Música na era digital" (prevenção e repressão à fraudes na internet), "Apoio institucional aos selos independentes" e "Música no Mercosul e América Latina", dentre outros, estarão em pauta.

A participação do The Fevers na Festa da Música reitera um ano de realizações para a banda e seu produtor José Carlos Marinho (também homenageado, em 2010). Atualmente em turnê nacional de lançamento do álbum "Vem Dançar", o grupo foi indicado para o Prêmio da Música na categoria Melhor Grupo/Canção Popular, atingindo a meta anual de 100 shows pelo Brasil e exterior, emplacando a canção inédita "Vai e Vem", de Alex Cohen e Michael Sullivan, nas rádios do Paraná, Minas Gerais e todo o Nordeste. Por sinal, Michael Sullivan, ex-vocalista do grupo, será outro dos homenageados da Festa Nacional da Música de 2011.

A "banda mais popular do Brasil", segundo a pesquisa realizada pelo programa Fantástico, da Rede Globo de Televisão, com 46 anos de carreira, tem uma galeria de troféus e comendas, já tendo vendido cerca de 12 milhões de álbuns. São 28 Discos de Ouro, 5 de Platina, 2 de Platina Duplo, 1 de Diamante, Disco de Ouro e Platina em Portugal. A banda também conquistou o Prêmio Sharp como “Melhor Grupo”, o Prêmio “Destaque Popular”, da RádioDifusão, em 1999; Prêmio Petrobrás Rio Show dos anos de 2005, 2006 e 2007; Prêmio Portuguese Cultural, Mississauga, Canadá, em 2009 e Prêmio Festa Nacional da Música em Canela, RS, edição 2010, dentre muitos outros.

A banda é atualmente formada por: Luiz Cláudio (vocal), Liebert Ferreira (contrabaixo), Miguel Ângelo (teclados), Rama (guitarra) e Otávio Monteiro (bateria).

Fonte: Assessoria de Imprensa

sábado, 8 de outubro de 2011

MESTRE OOGWAY E SUAS LIÇÕES

Quem assistiu ao desenho de animação da Dreamworks, Kung Fu Panda, deve lembrar de uma tartaruga anciã, de olhos cansados e de jeito manso, que é uma de suas personagens mais marcantes: Mestre Oogway.

A filosofia desse velho mestre fica evidente em dois de seus ensinamentos: o primeiro, “não existem coincidências”, obriga-nos a uma atenta releitura de nossa jornada e a aceitarmos determinados fatos e acontecimentos com naturalidade, não apatia. Não se trata de deixarmos as coisas ao sabor do vento ou de negligenciarmos o passado - porque não podemos mudá-lo, mas compreendermos holisticamente que há uma força sobrenatural, acima da nossa míope visão, a orquestrar os nossos passos, as nossas decisões. Basta que olhemos para tudo o que está ao nosso redor. O que somos hoje é resultado das nossas escolhas e experiências; se escolhemos bem, se escolhemos mal, é fato que arcaremos com o ônus da escolha.

Às vezes, ficamos desesperados, a buscar soluções para os problemas que a vida nos oferece. Tendemos a enxergá-los como ameaças e, erroneamente, a achar que o poço do sofrimento não tem fundo. Mergulhamos de cabeça no (nosso) abandono e tentamos entender o porquê de tudo. Isso não nos cabe, nem o momento. Só mais adiante, essa força extraordinária, a que chamamos Deus, coloca à nossa frente a resposta: uma pessoa, uma razão. “O tempo é o melhor remédio”, dizia vovó.

Devemos estender um olhar carinhoso sobre a nossa história de vida, rica em sentimentos, em emoções e experiências, para seguirmos em frente. É o que nos engrandece e nos impele à mudança futura. Um aprendizado. Afinal, aquele que não muda COM a mudança, será mudado POR esta. Eis, a propósito, a ponte, a correlação com o segundo ensinamento de Oogway: “O passado é história; o futuro é um mistério; e o presente é uma dádiva: por isso se chama presente”.

A poesia da personagem nos faz entender o (nosso) passado como uma escola incomparável; ensina-nos a mirar e a projetar o futuro com olhares cobiçosos e a convicção de dias melhores. Deixa-nos a semente a ser trabalhada para isso. No entanto, é ao presente a que devemos atribuir melhor importância. Porque problemas podem ser oportunidades e realizá-las é uma bênção.

É preciso renascer das cinzas, qual fênix, e beijar o presente com respeito, tesão e vontade. Eu não tenho medo.

Francisco Filardi

domingo, 2 de outubro de 2011

POEMA INÉDITO DE FRANCISCO FILARDI

CORROSÃO

(versos para uma estranha)


Houve um tempo em que o sol

resplandecia e as flores desabrochavam

a exalar o aroma da certeza.


O futuro estava em toda esquina.


Tempo em que o sonho era um delírio:

atraente mistura de enlevo e abraço

a acalentar-nos em suave torpor.


(Era seguro caminhar por entre as nuvens).


Mas esse era um pretérito imperfeito,

terreno movediço que nos engolia:


câncer a devorar-nos o corpo,

rotina a corroer-nos a alma.


Em verdade, o pretérito é mais-que-imperfeito,

um subjuntivo que nos desatina o presente.


Somos estranhos com tantos “se” e “porquês”,

Fomos estranhos como duas paralelas...


Daí a intensidade do estilhaço,

a lâmina fria da indiferença (tua),

o calor ácido da discussão (nossa),

a verdade (crua), a ânsia trêmula,

o rasgo, vaso que se rompe:

a agonia, a morte, o nada.


O que me resta são paredes vazias

e as migalhas do (teu) pão

que não mais desejo comer.


01/10/2011