sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

"ENSAIO", FILME DE TÂNIA LAMARCA, ESTREIA NA SEXTA (13/12/2013)



Dança e cinema num trabalho artístico de alta qualidade.
Carlota Portella

Inteligente, envolvente e sensível. Um filme para todos os amantes do cinema e da dança.
Dalal Achcar

O vigor da dança em imagens poéticas e sensíveis.
Ana Botafogo
 

Ensaio’, novo filme de Tânia Lamarca, estreia 
no Rio de Janeiro dia 13 de dezembro

APLAUDIDO EM SESSÃO LOTADA NO ÚLTIMO 
FESTIVAL DO RIO, O DRAMA EXISTENCIALISTA AMBIENTADO  NO MUNDO DA DANÇA ESTREIA 
NO CINEMA ESTAÇÃO BOTAFOGO



Depois do sucesso de “Tainá – Uma Aventura na Amazônia”, a diretora Tânia Lamarca estreia “Ensaio – o amor não diz se é para sempre”, no dia 13 de dezembro com distribuição da Imagem Filmes, na cidade do Rio de Janeiro.

A história se desenvolve durante os ensaios de um espetáculo de dança sobre a heroína Anita Garibaldi e tem como protagonistas dois renomados bailarinos brasileiros que fazem sua estreia como atores no cinema: Lavinia Bizzotto (Eva/Anita) e Bruno Cezario (Daniel/Garibaldi). Além deles, o elenco tem a participação especial de Ingra Liberato (Ana) e de mais três atores catarinenses: Chico Caprario (Caio), Antônio Cunha (Rodolpho) e Renato Turnes (Baldina).

“Ensaio” gira em torno de Eva, mulher determinada, uma bailarina focada na carreira que põe em risco sua ambição máxima que é dançar Anita ao se envolver amorosamente com Daniel, o sedutor bailarino de origem argentina que interpreta Garibaldi. Enquanto Eva está focada em seu propósito, à sua volta as relações interpessoais entre os demais integrantes da pequena Cia de dança evidenciam sentimentos bem próprios da natureza humana: inveja, amor, arrependimento, obsessão e sórdidos segredos, que são esmiuçados no decorrer da trama.

Nas coreografias criadas pelo premiado coreógrafo Renato Vieira em parceria com Bruno Cezario, e que se entrelaçam visceralmente à trilha sonora original composta pelo pianista e maestro Alberto Heller (que também assina a Direção Musical junto ao maestro Jeferson Della Rocca), o filme vive seu maior desafio: permear drama, dança e música para contar um momento limite na vida de uma bailarina.

“Ensaio” é uma produção catarinense, com cenas rodadas em Florianópolis/SC, Laguna/SC e Buenos Aires na Argentina. A narrativa, focada nos sentimentos e nos dramas secretos de cada personagem foi determinante para a escolha da ambientação cenográfica, dos figurinos e da estética fotográfica. A Direção de Arte e o Figurino são do veterano Óscar Ramos que trabalhou com Lamarca no bem sucedido “Tainá”. Assina a Cenografia a dupla catarinense Zeno Petry e Márcia Passos. No Som, Leo Gomes, e na Direção de Fotografia, Marx Vamerlatti, também catarinense. Este explora cenários naturais sob uma ótica bem intimista transformando-os em um universo sem placas e sem datas. Tânia comenta: “O tom, a atmosfera das cenas rodadas nos interiores tinham que dialogar com a paisagem invernal das dunas, lagoas, mares e montanhas lá fora, tinham que abraçar a solidão e as idiossincrasias das personagens. A luz da coreografia “Morte de Anita” é nossa homenagem ao universo pictóricode Caravaggio”.

Ela conta que elegeu o conceito voyeur no uso das lentes e movimentos de câmera nas filmagens e depois acentuou essa intenção na montagem buscando capturar o que havia de mais sensorial em cada personagem. A parceria na condução da narrativa de “Ensaio” veio com a entrada na equipe do montador Tiago Silva (outro catarinense) que, assim como Marx, o fotógrafo do filme, também havia sido aluno da diretora num curso de cinema de uma universidade de Florianópolis.

“Buscamos sempre atender, no processo da montagem, as três máximas: emoção, enredo e ritmo. Mas não se abria mão de buscar o que não estava aparente, tratava-se de observar o modo de ser daquelas pessoas, daquelas existências, naquele momento de suas vidas, evitando um juízo moral. Tínhamos sempre em mente um olhar que se não julga, também não condescende. Era preciso evidenciar cada um como dono de seu próprio destino, sustentarque o indivíduo é o único responsável em dar significado à sua vida e em vivê-la de maneira sincera e apaixonada, apesar dos muitos obstáculos e distrações que o ‘viver’ inclui”, conta Tânia.

A escolha pela temática da dança aconteceu naturalmente. Voltando a morar em Florianópolis no ano 2000, cidade onde nasceu,a diretora explica: “A dança é uma arte de muito destaque no estado e isso me chamou a atenção. O grupo Cena 11 e o Festival de Dança de Joinville são nossos. Em paralelo, andava pensando sobre a incomunicabilidade humana no exercício do afeto, o que me levava a pensar nas mazelas e delícias do amor romântico, seus limites, ou a ausência deles”. Além disso, considera que a cidade contribuiu ainda para a formação dos personagens: “Evitamos a Floripa turística, cheia de sol e badalação. Comosou apaixonada pela alma do inverno catarinense, e o conheço muito bem, criei personagens invernais e, não, heróis ensolarados”.

O argumento de “Ensaio”foi premiado em edital para desenvolvimento de roteiro da Secretaria do Audiovisual/MinC (2006) e o projeto foi vencedor do Prêmio Catarinense de Cinema (2008). O filme foi rodado em 2010 e finalizado 2012.

Apoio: BBDTVM

Patrocinadores: Tractebel Energia, Casan, BRDE, Eletrobrás.

Produtoras Associadas: Quanta, Teleimage, Influência Filmes, Cinetrip, Set Cinema.
 
Apoio Cultural: RBS TV, Lagoa Iate Clube/LIC, Costão do Santinho, Prefeitura Municipal de Florianópolis, Funcine, Centro Multiuso de São José, Werner Coiffeur e Orth Produções.

 
A diretora

Max Vamerlatti e Tânia Lamarca - foto: divulgação

Tânia Lamarca é diretora, produtora e roteirista. Dirigiu seu primeiro longa, “Buena Sorte”, em 1997, premiado no Festival de Gramado e no Festival de Miami, e conquistou 14 prêmios - 12 internacionais e dez como o de “Melhor Filme”–dirigindo  “Tainá – Uma Aventura na Amazônia” (2000). Foi também assistente de direção, diretora-assistente, produtora executiva e trabalhou com renomados diretores em mais de 40 obras do cinema brasileiro.

Dirigiu ainda curtas-metragens como “Mario Filho em Painel” (1980) e “Guerreiro de Prata” (1981) e fez televisão atuando na área de direção e roteiro de novelas e minisséries como “Metamorfose” (2004), “Olho por Olho” (1988), “Quem Ama Não Mata” (1982). Nos anos 80 foi membro da diretoria do Sindicato dos Artistas e Técnicos do Rio de Janeiro (Sated); nos anos 90 foi sóciafundadora da RAIS (Associação dos Realizadores de Imagem e Som do Rio de Janeiro), entidade cujo principal movimento colaborou na criação e aprovação, em 1993, da Lei do Audiovisual para o cinema brasileiro.


Lavinia Bizzotto

 Lavinia Bizzotto - foto: Cristiano Prim

Sua formação profissional como bailarina teve inicio em Goiânia, em uma das mais renomadas companhiasbrasileirasde dança contemporânea, a Quasar Cia de Dança do coreógrafo Henrique Rodovalho. Além de bailarina, nos últimos anos que láesteve,Lavinia também foi ensaiadora da companhia. O alto nível de sua dança contemporânea já levou Lavinia aos palcos da China, EUA, Alemanha, Espanha, França, Dinamarca e Holanda.

Na mudança para o Rio de Janeiro ela busca estudar teatro, interpretação para TV e cinema, o que a levou a participar de diversos trabalhos na área mas sem nunca deixar o tablado. Atualmente,Lavinia dança na Cia Renato Vieira e atua como diretora de movimento em filmes e peças teatrais.

Para ela, “Ensaio”trouxe o desafio de interpretar duas personagens, duas protagonistas, Eva e Anita Garibaldi, já em sua estreia cinematográfica. “Chegou um momento que não era mais a Lavinia quem estava tomando as decisões, mas, sim, a personagem. Por mais que eu tivesse um roteiro, a direção da Tânia e a troca com o elenco, o papel foi me impregnando de uma forma que, uma hora era a Anita me levando e outra era a Eva. São personagens que se misturam em mim”.


Bruno Cezario

 Bruno Cezario e Lavinia Bizzotto - foto: Cristiano Prim

A carreira internacional desse bailarino que morou alguns anos na Europa passa por importantes companhias de dança europeia: Ballet Du Grand Théâtre de Génève na Suíça, do Culberg Ballet na Suécia, do Ballet de l´Opera de Lyon na França até ocupar o posto de Primeiro Bailarino da Cia Nacional de DançaNachoDuato, na Espanha. Nesse tempo por lá, Bruno também dançou para coreógrafos do naipe de William Forsith, Natalia Makarova, Lar Lubovitch, Sacha Waltz eMatsEk, entre muitos outros. Aqui no Brasil, Cezariojá foi coreografado por DalarAchcar, Debórah Colker, Marcia Haydée e pelo próprio Renato Vieira, com quem hoje divide o posto de coreógrafo na companhia carioca que leva o nome de Renato.

Sua mais recente apresentação foi no Teatro Municipal do Rio agora em outubro último com a conhecida coreografia “L’près-midi d’unfaune” - com remontagem de Tatiana Leskovadentro da homenagem ao centenário de “A Sagração da Primavera”, obra prima de VaslavNijinsky e Igor Stravinsky. Sua interpretação para o Fauno recebeu calorosos elogios da crítica especializada. Antes de se mudar para a Europa, bem jovem ainda, Cezariohavia dançado no Balé do Teatro Municipal do Rio por três anos, nesse mesmo palco que agora pisou como bailarino convidado.

Em “Ensaio”, além de interpretar Daniel e Garibaldi, Bruno Cezario é autor das coreografias do filme junto com o coreógrafo Renato Vieira. Para ele, o processo de criação contribuiu para o resultado visto nas telas: “Quando a Tânia nos propôs criar as coreografiassem música alguma não foi tão assustador, pelo contrário. Era bem parecido com a forma como a gente trabalha. Gostamos da calma e preferimos que o sentimento venha primeiro. Acho que o silêncio também é uma música incrível”.

Sobre interpretar Daniel, o bailarino portenho que esconde de si mesmo que é uma das 500 crianças desaparecidas na última ditadura argentina, Bruno conta que sofreu um tanto na construção da personagemao refletir sobre as mães e avós da Praça de Maio. “São apenas mulheres buscando seus filhos e netos desaparecidos”, diz ele e conclui pensativo: “Tudo o que não tem volta exige muita compreensão e às vezes vai muito além do que se está preparado para saber. Essa é a situação do Daniel no filme. Mesmo envolvido de verdadecom aquestão da Eva, ele não tem coragem de falar disso com ela, mas também já não suporta não saber quem é ele de verdade. Como ele vai falar disso se dói tanto nele? Então ele dança, só dança. É o jeito dele se comunicar, e da Eva também”.


Renato Vieira

 Renato Turnes - foto: Cristiano Prim

Desde que fundou a companhia de dança que leva seu nome em 1988, o diretor e coreógrafo Renato Vieira optou por pesquisar uma linguagem de movimentos que trouxesse à cena o que conceituou como a “dramaticidade da condição humana”. Para este fim, desenvolveu seus projetos a partir de textos teatrais e da literatura, e logo passou a ser convidado a realizar trabalhos de corpo em diversas peças de teatro. Especificamente na sua companhia desenvolve uma linguagem coreográfica que, tendo como foco um tema específico, faz uma síntese entre diversos vocabulários de corpo (balé clássico, moderno, jazz e contemporâneo), buscando relacioná-los com um conceito bem definido do espetáculo proposto. Em paralelo aos projetos pessoais, Renato nos últimos anos coreografou musicais de grande sucesso no teatro,minisséries, aberturas de programas e especiais musicais para a TV. Constante como jurado na “Dança dos Famosos” da TV Globo, o carisma do coreógrafo ainda é conhecido dos carnavais onde está sempre à frente de uma Comissão de Frente de alguma importante escola de samba.

Sobre o trabalho desenvolvido para “Ensaio” Renato revela: “O maior desafio foi integrar as coreografias ao roteiro. Àquela história que se passava nos bastidores de uma companhia de dança e que em algumas vezes exigia que uma mera ‘ação’ fosse coreografada. Também as coreografias, filmadas todo o tempo com duas câmeras, de variados ângulos e com muitas trocas de lentes, exigiu adaptações na hora de rodar”. Ele explica, no entanto, que a parceria com Bruno Cezario e LaviniaBizzoto foi um facilitador: “Já trabalho com os dois há muitos anos, então, a comunicação fica mais fácil. Eles já sabem o que estou pensando e já fazem o movimento”.


Alberto Heller

Criador da trilha musical de “Ensaio”, o compositor e pianista Alberto Heller, é brasileiro naturalizado (nasceu em Buenos Aires/AR). É graduado e pós-graduado na Escola Superior de Música ‘Franz Liszt’ em Weimar, na Alemanha; é mestre em Educação, doutor em Literatura (ambos pela Universidade Federal de SC- UFSC) e membro da Academia Catarinense de Letras e Artes. Tem nove CDs gravados e é autor dos livros Fenomenologia da Expressão Musical (2006) e John Cage e a poética do silêncio (2011).

Sobre a trilha de “Ensaio”, Alberto Heller diz que não sente que as composições foram criadas para o filme, mas que nasceram junto com a história. Ele explica ainda que as primeiras imagens que viu do filme já estavam editadas apenas com o som ambiente: “Os bailarinos filmaram as coreografias sem música nenhuma, uma coisa que acho fantástica. Eu não podia querer que a música se impusesse à imagem”. Segundo ele, “Ensaio” faz a desconstrução do amor romântico e mostra diferentes formas de se amar. “Percebi de imediato a delicadeza e profundidade das imagens, da trama, da dança, de forma que a música tinha que se fazer presente de maneira viva, mas ao mesmo tempo discreta. 

Não poderia haver excesso de trilha nem poluição sonora desnecessária; não era uma questão de fazer músicas bonitas para sobrepor às imagens bonitas: era preciso entender, em cada cena, o que o contexto pedia, e a partir de qual perspectiva a música deveria brotar de qual personagem, de qual olhar pois o filme é um verdadeiro caleidoscópio de olhares, e cada olhar instaura um tempo e um caráter próprios. E esses olhares são quase sempre oblíquos, transversais, subversivos. A música precisava acompanhar isso, ela deveria ter essa mesma transversalidade, esse mesmo caráter indireto. 

A música de câmara (duos, quartetos, quintetos) se mostrou ideal para realçar as situações intimistas e ao mesmo tempo complexas da trama. Isso também se mostrou adequado em relação à dança: no filme, as coreografias aparecem sempre em processo de ensaio, nunca ‘prontas’ ou ‘acabadas’; a música precisava captar esse aspecto do efêmero - a fragilidade, a fugacidade, aquilo que, em vias de vir a ser, quase se perde. Sinto que esse é o tom das composições, e que encontra ressonância nos próprios personagens do filme”.


Jeferson Della Rocca

O maestro e violonistaque divide a Direção Musical de “Ensaio” com Helleré um dos mais atuantes músicos catarinenses. Ele fundou em 1994 a “Camerata Florianópolis”uma das principais orquestras no sul do país. Neste período, sob a sua batuta, a “Camerata”, como é carinhosamente chamada pelos “catarinas”,desenvolveu importantes projetos musicais. Dentre eles destacam-se mais de 600 apresentações públicas em teatros e comunidades de Florianópolis, além de concertos didáticos, turnês em outras cidades, bem como concertos por diversas regiões da Itália, Alemanha, França e Espanha.  Além do seu trabalho em música de câmara, Jeferson também se destaca na regência de obras sinfônicas e óperas, recebendo importantes críticas de musicólogos, compositores e grandes nomes do canto lírico. Como o parceiro Alberto, também é membro da Academia Catarinense de Letras e Artes. Algumas das músicas criadas para “Ensaio” foram executadas pela “Camerata” sob a sua poética regência.


O Mito Anita Garibaldi (resumo)

Inspiração para a diretora Tânia Lamarca na construção de “Ensaio”, Anita, que era analfabeta, num acordo feito pela mãe havia se casado aos 15 anos com um sapateiro que bebia muito e que era um pouco menospobre do que a família dela. Aos18 anos, já em 1839,sua pequena cidade ao sul da costa catarinense (Laguna) foi tomada pela valente tropa da Revolução Farroupilha. No comando da pequena frota naval dos farrapos, que se saiu vitoriosa na célebre batalha “Tomada de Laguna”, vinha Garibaldi, então com 32 anos. A paixão entre os dois levou Anita a abandonar o casamentojuntando-se à ele definitivamente. Por dez anos o casal pelejou lado a lado em três revoluções (Brasil, Uruguai e Itália) até que ela morreu nos braços dele no norte italiano enquanto eram furiosamente perseguidos após a “Fuga de Roma”.


O mito Anita ganhou força no século XX e estudiosos passaram a se interessar mais pela história dela. Poucos registros foram encontrados (ainda discute-se sua cidade de nascimento) e as pessoas que conviveram com ela e Garibaldi já haviam morrido quando as pesquisas sobre ela realmente começaram. Os depoimentos mais conhecidos sobre essa mulher são do próprio Giuseppe Garibaldi, que traça elogios recorrentes em seu livro de memórias a essa jovem heroína que não teve medo de correr atrás dos seus mais profundos desejos.


Imagem Filmes

A Imagem Filmes é uma distribuidora nacional de filmes independentes comprometida, acima de tudo, com a qualidade e variedade de produções. Atuando nos segmentos de cinema, vídeo e televisão, a Imagem Filmes distribuiu em 2013 grandes produções nacionais, dentre elas: “Vai Que Dá Certo”, “Somos Tão Jovens”, “Flores Raras”, “Mato Sem Cachorro”, “Casa da Mãe Joana 2”, “O Vendedor de Passados” e "Julio Sumiu" além das produções internacionais “A Hospedeira” (The Host), “Diana”, “Sin City 2”, “Blue Jasmine”, “Riddick” e “Tarzan 3D”.


Ficha técnica

Produção, Roteiro e Direção: Tânia Lamarca
Colaboração no Roteiro: Sandra Nebelung
Diretor-Assistente: Marco Martins
Criação e Direção de Coreografias: Renato Vieira e Bruno Cezario
Trilha Sonora Original: Alberto Andrés Heller
Direção Musical: Alberto Andrés Heller e Jeferson Della Rocca
Produtor Musical: Marcus Vinicius França
Direção de Arte e Figurino: Óscar Ramos
Cenografia: Zeno Petry e Márcia Passos
Direção de Fotografia: Marx Vamerlatti
Still: Cristiano Prim e Leo Gomes
Direção de Produção: Magali Heinzel
Produção Executiva: Tânia Lamarca e Lula Leite Franco
Montagem: Tiago Santos
Edição de Som: Ana Chiarini e Leo Gomes
Estúdio de Foley: Kiko Ferraz Studios / RS
Mixagem de Som: José Luiz Sasso, ABC
Produtora de Finalização: EwaWawelberg
Gerência de Finalização: Maria Cristina HolthausenPérico
Coordenação de Finalização: Tânia Lamarca
Abertura: Fernando Pimenta
Produtora: Acquafredda Cinema
Distribuição: Imagem Filmes



fonte: assessoria de imprensa

Nenhum comentário:

Postar um comentário